Tesouro Direto: taxas operam misturadas com aversão ao risco global e petróleo

As taxas dos títulos públicos operam em movimento misto na tarde desta quinta-feira (12). As obrigações de taxa fixa têm retornos mais elevados, enquanto as taxas indexadas à inflação diminuem.

Segundo Flavio Serrano, economista-chefe da Greenbay Investimentos, o dia foi marcado por um movimento de alta nas taxas de juros, impulsionado pela aversão ao risco dos investidores. Ele explica que há um medo maior em relação a uma desaceleração mais forte da economia global.

Ele cita que essa aversão acabou pressionando os juros, que subiram boa parte do dia. Outro motivo que puxou a curva foi a alta dos preços do petróleo.

“A defasagem dos preços da gasolina com o mercado internacional já está acima de 20%”, aponta Serrano. Para o economista, isso também tem impacto nos juros, por causa da expectativa de reajuste da gasolina no curto prazo que contribui para a inflação.

No radar dos investidores e que pode impactar os próximos pregões, Serrano destaca o preço das commodities.

No Tesouro Direto, o maior aumento foi em títulos prefixados de longo prazo. O Tesouro Prefixado 2033, com juros semestrais, ofereceu um retorno anual de 12,71%, superior aos 12,66% vistos ontem.

A Tesouraria de Taxa Fixa 2025 e a Tesouraria de Taxa Fixa 2029 tiveram retorno anual de 12,56%, acima dos 12,52% e 12,54% registrados na quarta-feira (11).

Por outro lado, nos títulos indexados à inflação, o movimento foi de queda das taxas.

A maioria dos títulos do governo registrou queda de 4 pontos base nas taxas. Apenas a taxa do Tesouro IPCA+ 2040, com juros semestrais, caiu 3 pontos base.

Às 15h28, o título público oferecia retorno real de 5,77%, inferior aos 5,80% vistos ontem.

O Tesouro do IPCA+ 2055 segue com as negociações suspensas porque pagará juros semestrais na próxima segunda-feira (16).

Confira os preços e taxas de todos os títulos públicos disponíveis para compra no Tesouro Direto que foram ofertados na tarde desta quinta-feira (12):

Serviços

Os dados de serviços estão no foco do mercado nesta quinta-feira. O volume do setor cresceu 1,7% em março, na comparação mensal. Em relação a março do ano passado, os serviços avançaram 11,4%. No ano, o aumento é de 9,4%

Os números superaram as estimativas de consenso da Refinitiv, que subiram 0,7% mensalmente e 8,5% ano a ano.

Com os resultados de hoje, o setor recuperou a perda de 1,8% de janeiro e agora está 7,2% acima do nível pré-pandemia.

Na base mensal, o resultado positivo foi divulgado por todas as cinco atividades investigadas pela pesquisa, com destaque para transportes (2,7%), que cresceu pelo quinto mês consecutivo.

“Entre os setores que mais influenciaram o crescimento dessa atividade está o de frete rodoviário, principalmente o ligado ao comércio eletrônico e ao agronegócio. É o principal modal de transporte de cargas nas cidades brasileiras e seu uso se tornou ainda mais acentuado após os meses mais cruciais da pandemia”, explica Rodrigo Lobo, gerente de pesquisa.

Importação de alimentos, novo ministro e reforma tributária

Enquanto isso, no cenário político, o governo federal anunciou ontem (11) que vai zerar a alíquota do imposto de importação para sete categorias de produtos alimentícios. A decisão foi tomada pelo Comitê Gestor Executivo da Câmara de Comércio Exterior (Gecex/Camex), do Ministério da Economia.

Carnes, trigo e farinha de trigo, grãos de milho, biscoitos e outros produtos de panificação estão entre os itens afetados pela decisão. Em entrevista coletiva para detalhar as medidas, Marcelo Guaranys, secretário-executivo da pasta, disse que o objetivo da medida é conter o avanço da inflação no país e fazer os empresários pensarem duas vezes antes de aumentar os preços.

Destaca-se também a aprovação ontem (11) pela Câmara de pagamento adicional de plantão para policiais federais. A medida provisória (MP) está agora sendo analisada pelo Senado Federal, que deve aprová-la até 25 de maio.

O texto possibilita a utilização dos recursos do Fundo de Equipamentos e Operação das Atividades-fim da Polícia Federal (Funapol) para financiar o seguro saúde e o pagamento de indenização por tempo de disponibilidade.

Após uma semana de discussões nos bastidores sobre a reforma tributária, as conclusões do Reuters ressaltam que a matéria não dá sinais de tramitação, por enquanto, no Senado, embora o presidente da Câmara, Rodrigo Pacheco (PSD-MG), pretenda votá-la neste semestre.

Fontes consultadas pelo órgão disseram que os dois principais senadores envolvidos no andamento da Proposta de Emenda à Constituição (PEC) que trata do assunto – o relator, Roberto Rocha (PTB-MA), e Davi Alcolumbre (União-AP) , presidente da Comissão de Constituição e Justiça (CCJ), onde tramita a medida – não deve retomar a discussão por enquanto.

Em seu primeiro discurso como ministro de Minas e Energia, Adolfo Sachsida disse nesta quarta-feira que solicitou estudos ao governo federal privatização da Petrobras (PETR3;PETR4) e Pré-Sal Petróleo (PPSA), responsável pelos contratos da União do pré-sal. Aliado do ministro da Economia, Paulo Guedes, o economista também defendeu a continuidade da venda da Eletrobras, que depende da aprovação do Tribunal de Contas da União (TCU).

Preste atenção também a mais alguns sinais de parada. Caminhoneiros autônomos capixabas anunciaram ontem (11) que vão fazer greve — a movimentação deve começar a partir da meia-noite de hoje, segundo comunicado da categoria.

cenário externo

No cenário externo, o destaque fica por conta do Índice de Preços ao Produtor (PPI) norte-americano, que subiu 0,5% em abril em relação a março, segundo dados com ajuste sazonal divulgados nesta quinta-feira pelo Departamento do Trabalho. do país.

O resultado ficou em linha com as expectativas dos analistas consultados pelo Jornal de Wall Street. O núcleo do PPI, que exclui itens voláteis como alimentos e energia, subiu 0,6% na comparação mensal em abril, também seguindo a previsão do mercado.

Na comparação anual, o PPI saltou 11,0% em abril, desacelerando em relação ao aumento anual de 11,5% no mês anterior, e o núcleo do índice avançou 6,9%. O Departamento do Trabalho também revisou para cima o PPI mensal de março, de um ganho de 1,4% para um aumento de 1,6%.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.