Rodrigo Caetano valoriza manutenção do elenco do Atlético: ‘Muito difícil’

Rodrigo Caetano valorizou o trabalho da diretoria do Atl
foto: Pedro Souza/Atltico

Rodrigo Caetano valorizou o trabalho da diretoria do Atlético para manter um elenco multicampeão

O diretor de futebol Rodrigo Caetano valorizou a manutenção da maior parte do elenco do Atlético, que foi multicampeão em 2021. Na opinião do dirigente, Galo não fraquejou com a diminuição do número de atletas.


Do time que conquistou os títulos do Campeonato Mineiro, Campeonato Brasileiro e Copa do Brasil, o Atlético perdeu Diego Costa (rescisão), Hyoran (empréstimo), Nathan (empréstimo), Dylan Borrero (venda) e Savarino (venda). O zagueiro Junior Alonso chegou a ser vendido, mas devolvido por empréstimo.

Em compensação, foram contratados: Ademir (permanentemente), Otvio (por empréstimo e, posteriormente, definitivamente), Fbio Gomes (permanentemente) e Diego Godn (permanentemente).

“Reduzimos o número de atletas, mas não posso pensar que enfraquecemos. Tenho que deixar claro para os torcedores que tudo o que fazemos, chegada e saída, é feito em conjunto, seguindo um plano. A gente tinha que fazer, era uma necessidade. Tudo o que fizemos foi preservar ao máximo quem jogava mais. Muitas vezes o jogador tem que ter vontade de ficar também”, avaliou Rodrigo Caetano.

O diretor de futebol também destacou a necessidade de dar oportunidades aos jovens de Ranking da juventude do Atlético. Ele pediu compreensão dos torcedores para entender o planejamento do clube.

“Nosso papel é manter o elenco altamente competitivo. Depois de uma pesquisa, mudou um pouco. Acho que tínhamos mais quantidade, opções. Mas, com isso, não atingiríamos aquele outro objetivo que temos, que é dar um pouco mais de espaço para os jovens. Ontem tivemos cinco jogadores da base relacionados. Se você tem 34 jogadores afastados, quando vai aproveitar essa oportunidade? Também faz parte do planejamento do clube. Os torcedores têm que entender isso”, disse .

“As equipes consideradas com melhor elenco são aquelas que otimizam os elencos. Ou seja, reduzem, como é feito na Europa. Têm um grupo menor, com meninos que podem entrar no time principal. Nosso trabalho é manter a competitividade entre eles, ter um plantel que acreditamos ser equilibrado, procurando sempre melhorar a prevenção, tanto que somos a equipa entre as candidatas ao título com o menor número de lesões no ano.

Reformulação do elenco campeão?

Questionado sobre um possível processo de reformulação do elenco devido à idade média, Rodrigo Caetano foi enfático: isso não é um pensamento da diretoria. “Não faz sentido”, opinou. O gerente enfatizou que a cúpula prioriza uma mistura de jogadores experientes e jovens.

“Não é possível, no ano seguinte para os títulos, fazer uma reformulação. Não faz sentido. Discordo quando se fala em idade. Acima de 30 anos, temos Mariano, Nacho, Hulk, Vargas, Godn, Rver, que são uma bandeira Nossa, acima de tudo. Se você pegar os mencionados, perto dos 32 jogadores, uma porcentagem muito baixa. Temos muitos jogadores de meia-idade. Nessa mistura, não podemos ter apenas jogadores jovens ou experientes. Essa mistura é o que procuramos”, enfatizou .

“Para fechar essa questão do elenco, é muito difícil para um time campeão, como o nosso, manter o número de atletas que mantivemos. Foram os atletas que mais jogaram no ano passado. Não podemos ter tudo. É natural que os que partiram sejam lembrados, pois participaram de um ano histórico. Os que chegaram, alguns já confirmaram, outros terão tempo suficiente para demonstrar a sua qualidade”, acrescentou.


Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.