Quem é o promotor paraguaio que investigava PCC assassinado em lua de mel | Mundo

Um promotor que investiga o crime organizado em Paraguai foi assassinado nesta terça-feira (10) na Colômbia, onde estava em lua de mel.

A informação foi confirmada pelo presidente da ParaguaiMario Abdo Benítez, que condenou o crime em um post no Twitter.

“O covarde assassinato do promotor Marcelo Pecci na Colômbia deixa toda a nação paraguaia de luto. Condenamos este trágico acontecimento com a maior veemência e redobramos nosso compromisso de combater o crime organizado”, escreveu.

Em 2017, Pecci liderou a chamada operação “Zootopia”, na qual foi desmantelada a maior estrutura da facção criminosa brasileira Primeiro Comando da Capital (PCC). Paraguaicom a apreensão de 500 quilos de cocaína.

Pecci também investigava um massacre ocorrido no ano passado em Pedro Juan Caballero, no qual quatro pessoas morreram – incluindo a filha do governador da província de Amambay e dois estudantes brasileiros (Kaline Reinoso de Oliveira, 22, e Rhannye Jamilly Borges de Oliveira, 18 anos).

A principal suspeita das autoridades é que o crime tenha sido cometido por causa de uma disputa interna em uma quadrilha brasileira de traficantes de drogas.

O tráfico de drogas na fronteira entre Pedro Juan Caballero e Ponta Porã, no Mato Grosso do Sul, é controlado por pessoas ligadas ao PCC.

Pecci morreu na ilha de Barú, localizada a cerca de 40 minutos de barco da cidade de Cartagena das Índias.

Fontes da embaixada Paraguai na Colômbia disse à EFE que foram informados sobre o evento que ainda está sob investigação e que estão em contato com a Polícia Nacional Colombiana, que está realizando a investigação.

O diretor da Polícia Nacional da Colômbia, general Jorge Luis Vargas, disse à imprensa que autoridades estão tomando medidas urgentes e confidenciais que, disse, “ajudará a identificar os responsáveis ​​por este lamentável acontecimento”.

A Polícia paraguaia também enviou uma delegação à Colômbia que se juntará à investigação.

Pecci, 45, era procurador especializado contra o Crime Organizado, Tráfico de Drogas, Lavagem de Dinheiro e Financiamento do Terrorismo.

A imprensa local também informou que o procurador fazia parte de uma operação denominada “Ultranza”, contra o tráfico de drogas e lavagem de dinheiro.

Ele havia acabado de se casar com a jornalista paraguaia Claudia Aguilera em 30 de abril e estava em lua de mel.

Aguilera disse à imprensa paraguaia que foram abordados por dois homens que chegaram de barco na praia do hotel onde estavam hospedados e que atiraram em seu marido.. Ele disse que não recebeu ameaças de morte.

Na manhã de terça-feira, o casal anunciou no Instagram que estava esperando um filho.

A mídia local também informou que o funcionário fez parte de uma operação chamada “Ultranza”, contra o tráfico de drogas e lavagem de dinheiro, e esteve envolvido na investigação de um ataque que ocorreu em janeiro durante um show no Paraguai.

Ele participou da investigação do assassinato da filha de um governador regional e do caso do ex-jogador de futebol brasileiro Ronaldinho, que foi preso ao tentar entrar no Paraguai com passaporte falso em 2020.

O presidente Mario Abdo Benítez disse que se comunicou com seu colega colombiano, Iván Duque, bem como com o governo dos Estados Unidos, e que eles ofereceram apoio para investigar o incidente.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.