O que explica a queda no bitcoin (BTC), ether (ETH) e mais – Money Times

Bitcoin (BTC) hoje
Bitcoin cai esta semana (Imagem: Pexels/Roger Brown)

As criptomoedas passaram por uma semana um tanto desafiadora para o mercado de criptomoedas.

Na quarta-feira (11), por exemplo, o bitcoin (BTC) caiu abaixo de US$ 30.000, uma queda de 23,43% semanalmente, de acordo com dados da CoinMarketCap.

Nesta quinta-feira (12), a situação não foi amenizada.

A bitcoin alcançado US$ 26.350 nas primeiras horas do dia, embora custasse US$ 28.284 no momento da publicação desta notícia. A perda da criptomoeda foi de 10,41% nas últimas 24 horas e 28,3% na última semana.

O nível atual do Bitcoin é o pior desde dezembro de 2020, de acordo com o Decrypt.

A crise também afetou outras figuras conhecidas do mercado. É o caso de éter (ETH) que sofreu quedas ainda maiores, quando ficou abaixo de US$ 2 mil. Na madrugada desta quinta-feira, o ETH atingiu o preço de US$ 1.748.

O crash da criptomoeda está acontecendo por vários motivos, sendo de curto e longo prazo. Compreendo:

Se o resto do mercado financeiro cair…

Ao contrário do que muitos acreditam, o mercado de criptomoedas tem ligações diretas com o mercado financeiro tradicional.

Essa codependência é real há alguns anos. Quando a pandemia de coronavírus atingiu e derrubou os mercados de ações em todo o mundo, por exemplo, o Bitcoin caiu 57%.

Atualmente, as bolsas mundiais têm passado por uma forte contração nos últimos meses, devido a fatores como a guerra entre Ucrânia e a Rússiae o aumento da taxa de juros pelo Reserva Federal (Fed, o Banco Central dos Estados Unidos). O aumento pode tornar as anuidades variáveis ​​menos atraentes para os investidores – o que inclui criptomoedas no pacote.

A volatilidade de tudo

As criptomoedas, assim como outros investimentos de renda variável, são investimentos voláteis e sujeitos a uma série de fatores externos que podem afetar seu preço.

E é justamente a volatilidade que atrai alguns investidores, pois, ao mesmo tempo em que as criptomoedas podem cair vertiginosamente, também podem ter aumentos significativos.

A queda do UST

Outra questão que influencia a queda dos criptoativos foi a perda do lastro do stablecoin TerraUSD (UST)responsável por manter a paridade com o dólar.

Amarração (USDT)o maior moeda estável do mundo, perdeu o lastro em dólar, caindo para US$ 0,94 nesta quinta-feira (12), como mercado de criptomoedas entra em pânico após o colapso dos tokens do rede terrestre: LUA e a moeda estável UST.

De acordo com o Business Insider, esta foi a maior queda para stablecoin desde março de 2021. O atual cenário de crise de stablecoin gera preocupações, pois o ativo é considerado essencial para o funcionamento do mercado de criptomoedas.

O inverno criptográfico chegou?

Já há algum tempo, analistas do mercado financeiro apontam para uma possível chegada do “inverno das criptomoedas”. Isso, para eles, significa que o crescimento do setor será substituído por um longo período de contração.

Para Edward Harrison, da Bloomberg, o inverno cripto acontecerá porque as criptomoedas se tornaram “cada vez mais uma arena de especulação, muitas vezes dominada por aqueles que procuram ganhar dinheiro rápido”.

“À medida que o Federal Reserve aperta a política, todo o espaço criptográfico segue ações beta mais baixas em meio ao aumento das taxas de juros. É uma questão de tempo até que perdas maiores se concretizem devido a especuladores deixando o espaço, mesmo que fiéis entusiastas de criptomoedas detenham (ou HODL) suas moedas. Isso significa que estamos no início de outro inverno cripto”, escreveu ele em uma postagem no blog. artigo.

Com informações de Vitória Martini

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.