Djokovic se torna o 5º homem com 1.000 vitórias no tênis; ver lista | tênis

Novak Djokovic alcançou mais uma marca expressiva em sua carreira ao vencer a semifinal contra o norueguês Casper Ruud por 2 sets a 0, parciais 6/4 e 6/3, do Masters 1000 em Roma neste sábado. O atual número 1 do mundo se tornou apenas o quinto tenista masculino da história a ter 1.000 vitórias na Era Aberta do esporte, em torneios de simples.

– Obrigado pelo seu apoio. Se eu pudesse escolher um lugar para minha milésima vitória, seria aqui ou na Sérvia. Este bolo é para comemorar com você e minha família – comemorado na quadra ao entrar na história do tênis, em Roma, Itália.

Jogadores com mais vitórias na história

JOGADOR DE TÊNIS VITÓRIAS
Jimmy Connors (EUA) 1.274
Roger Federer (SUI) 1.251
Ivan Lendl (TCH) 1.068
Rafael Nadal (ESP) 1.052
Novak Djokovic (SER) 1.000

No primeiro set, Djoko foi dominante, quebrou os dois primeiros saques do norueguês e confirmou a vantagem nos saques seguintes, mas viu Ruud reagir em quadra. Apesar de ter a vantagem do saque quebrada no sétimo game para fechar a partida, Djokovic confirmou o segundo set point e fechou por 6/4.

O jogo começou mais equilibrado no segundo set, com ambos confirmando os primeiros saques. Tanto Djokovic quanto Ruup forçaram nas bolas paralelas, mas o sérvio aproveitou o erro do adversário no break point do sétimo jogo para abrir vantagem contra o norueguês no parcial 4/3. O sérvio não teve problemas para confirmar o próximo saque e garantir sua milésima vitória na carreira fechando por 6/3.

A final do Aberto da Itália será contra o grego Stefano Tsitsipas, número cinco da ATP, que eliminou o alemão Alexander Zverev por 2 sets a 1, parciais de 4/6, 6/3 e 6/3.

Novak Djokovic 1000 vitórias na carreira de tênis — Foto: Arte/ge

Djokovic também acrescenta outras marcas significativas ao longo de sua carreira profissional. O sérvio é o maior vencedor de títulos de Masters 1000, com 37 (ele pode levar o 38º neste domingo em Roma), além de ser o único jogador com três ou mais finais em todos os grandes torneios da temporada (somando Masters 1000 e Grand Slam).

Dono de 20 troféus de Grand Slams aos 34 anos, Djokovic continua buscando o recorde de títulos nos torneios mais importantes da temporada, que hoje pertence a Rafael Nadal, com 21. Ele é, ao lado do espanhol, o único jogador em histórico de ter pelo menos duas copas em cada um dos principais torneios do ano (Australian Open, Roland Garros, Wimbledon e US Open).

Lembre-se de vitórias notáveis

Ao longo dessas 1000 vitórias, Djokovic teve muitas partidas marcantes, especialmente em finais contra alguns dos maiores tenistas da história. Como, por exemplo, a decisão de Wimbledon de 2015 contra Roger Federer. O sérvio venceu o campeonato duas vezes em 2014 e 2015 contra o maior campeão da grama londrina.

Djokovic vence Federer e vence Wimbledon

Djokovic vence Federer e vence Wimbledon

No entanto, foi a terceira final entre os dois que marcou a história. Em 2019, Nole e Federer tomaram a decisão no gramado sagrado de Wimbledon com direito a mais de 5 horas de jogo e uma vitória por 3 sets a 2, parciais de 7/6, 1/6, 7/6, 4/ 6 e 13/12, garantindo o tetracampeonato.

Após quase cinco horas de jogo, Djokovic vence Federer na histórica final de Wimbledon

Após quase cinco horas de jogo, Djokovic vence Federer na histórica final de Wimbledon

A final de Roland Garros em 2016 foi marcante para o sérvio. Depois de ser vice-campeão três vezes no torneio, ele finalmente venceu o último Slam restante na coleção, vencendo Andy Murray por 3 sets a 1, parciais de 3/6, 6/1, 6/2 e 6/4.

Após o jogo, ele homenageou Guga, desenhando um coração e deitando na quadra de Phillipe Chartrier, assim como o brasileiro fez quando conquistou seu tricampeonato em 2001.

Novak Djokovic e Rafael Nadal protagonizaram a mais longa final de Grand Slam da história do tênis em 2012. Em uma batalha de 5min53s, o sérvio venceu o espanhol por 3 sets a 2, parcial 5/7, 6/4, 6/2, 6 /7 e 7/5.

Bia Haddad no top 50 do ranking WTA

Beatriz Haddad Maia Campeã de Duplas de Tênis WTA Paris — Foto: Instagram/TROPHÉE LAGARDÈRE

A brasileira Bia Haddad garantiu vaga no top 50 do ranking de simples da WTA após vencer a romena Ana Bogdan por 2 sets a 1, parciais de 5/7, 6/3 e 6/1, neste sábado. Se vencer a estoniana Kaia Kanepi na final do WTA 125 em Paris, Bia ainda pode melhorar sua posição (49ª) e garantir seu 42º lugar no ranking mundial.

Ao lado da francesa Kristina Mladenovic, ela conquistou o título de duplas no mesmo torneio na França ao derrotar a georgiana Oksana Kalashnikova e a japonesa Miyu Sato. A vitória também foi uma reviravolta por 2 sets a 1, virada, parciais de 5/7, 6/4 e 10/4.

Apenas outros quatro brasileiros estavam entre os 50 melhores tenistas do mundo: Maria Esther Bueno com a melhor posição da história, com a 29ª posição em dezembro de 1976, seguida de Niege Dias com o 31º lugar em 1988. no ranking mundial em 2015 e Patrícia Medrado da Bahia foi 48º em 1982 .

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.