Bitcoin derrete em tempestade perfeita de medo e pânico – 14/05/2022 – Mercado

A O preço do bitcoin caiu para seu ponto mais baixo desde 2020. A principal exchange de criptomoedas Coinbase despencou de valor. Uma criptomoeda que se promovia como um meio de troca estável entrou em colapso. E mais de US$ 300 bilhões (R$ 1,52 trilhão) foram dizimados pela queda nos preços das criptomoedas desde segunda-feira (9).

O mundo das criptomoedas entrou em colapso esta semana, em um acordo que ilustrou claramente os riscos de moedas digitais experimentais e não regulamentadas. Mesmo que celebridades como Kim Kardashian e magnatas da tecnologia como Elon Musk tenham falado sobre criptomoedas, o declínio acelerado de moedas virtuais como bitcoin e ether mostra que, em alguns casos, dois anos de ganhos financeiros podem desaparecer da noite para o dia.

O momento de pânico foi a pior redefinição de criptomoedas desde que o bitcoin despencou 80% em 2018. Mas desta vez a queda de preço tem um impacto mais amplo, pois mais pessoas e instituições detêm moedas. Críticos disseram que o colapso estava muito atrasado, enquanto alguns traders compararam o alarme e o medo ao início da crise financeira de 2008.

“Parece a tempestade perfeita”, disse Dan Dolev, analista que cobre empresas de criptomoedas e tecnologia finanças no Grupo Mizuho.

Durante a pandemia de coronavírus, as pessoas migraram para moedas virtuais, com 16% dos americanos agora possuindo algumas, acima dos 1% em 2015, de acordo com uma pesquisa do Pew Research Center. Grandes bancos como Northern Trust e Bank of America também entraram na onda, junto com fundos de hedge, alguns usando dívidas para aumentar ainda mais suas apostas em criptomoedas.
Os primeiros investidores provavelmente ainda estão em uma posição confortável. Mas os rápidos declínios desta semana foram especialmente acentuados para investidores que compraram criptomoedas quando os preços subiram no ano passado.

A queda da criptomoeda é parte de uma retração mais ampla em ativos de risco, estimulada pelo aumento das taxas de juros, inflação e incerteza econômica causada por A invasão russa da Ucrânia. Esses fatores exacerbaram a chamada ressaca da pandemia, que começou quando a vida começou a voltar ao normal nos Estados Unidos, prejudicando os preços das ações de empresas como Zoom e Netflix, que prosperaram durante os bloqueios.

Mas o declínio da criptomoeda é mais grave do que a queda mais ampla do mercado de ações. Enquanto o S&P 500 caiu 18% até agora este ano, o preço do bitcoin caiu 40% no mesmo período. Apenas nos últimos cinco dias, o bitcoin caiu 20%, em comparação com um declínio de 5% para o índice S&P 500.

Não está claro quanto tempo o colapso da criptomoeda pode durar. Seus preços se recuperaram de grandes perdas, embora em alguns casos tenham levado vários anos para atingir novos patamares.
“É difícil dizer: ‘É o Lehman Brothers?'”, disse Charles Cascarilla, fundador da empresa de blockchain Paxos, referindo-se à empresa de serviços financeiros que faliu no início da crise financeira de 2008. descobrir. Não consigo responder tão rápido.”

Os preços das criptomoedas atingiram o pico no final do ano passado e, desde então, caíram à medida que os temores sobre a economia cresceram. Mas o colapso ganhou força esta semana quando a TerraUSD, uma stablecoin, implodiu. Stablecoins, que deveriam ser um meio de troca mais confiável, normalmente são atrelados a um ativo estável, como o dólar, e não devem flutuar em valor. Muitos traders os usam para comprar outras criptomoedas.

O TerraUSD foi apoiado por empresas de capital de risco confiáveis, incluindo Arrington Capital e Lightspeed Venture Partners, que investiram dezenas de milhões de dólares para financiar projetos de criptomoedas construídos na moeda. Isso deu “uma falsa sensação de segurança para pessoas que, de outra forma, não saberiam sobre essas coisas”, disse Kathleen Breitman, uma das fundadoras da plataforma de criptomoedas Tezos.

Mas a TerraUSD não era lastreada em dinheiro, títulos do Tesouro ou outros ativos tradicionais. Em vez disso, extraiu sua suposta estabilidade de algoritmos que vinculavam seu valor a uma criptomoeda irmã chamada Luna.

Esta semana, Luna perdeu quase todo o seu valor. Isso imediatamente teve um efeito indireto no TerraUSD, que caiu para US$ 0,23 (R$ 1,1) na quarta-feira (11). À medida que os investidores entraram em pânico, o tether, a stablecoin mais popular e esteio do comércio de criptomoedas, também vacilou em relação ao seu próprio peg de US$ 1. O Tether caiu para US$ 0,95 (R$ 4,8) antes de se recuperar. (O Tether é lastreado em dinheiro e outros ativos tradicionais.)

Outras partes do ecossistema criptográfico azedaram ao mesmo tempo. Na terça-feira (10), a Coinbase, uma das maiores exchanges de criptomoedas, reportou prejuízo trimestral de US$ 430 milhões (R$ 2,17 bilhões) e disse ter perdido mais de dois milhões de usuários ativos. O preço das ações da empresa caiu 82% desde sua estreia triunfante no mercado em abril de 2021.

Brian Armstrong, CEO da Coinbase, tentou tranquilizar os clientes no Twitter que a empresa não corria o risco de falir depois que uma informação legal exigida sobre a propriedade de seus ativos causou pânico.

Os preços das criptomoedas também caíram vertiginosamente. O preço do Bitcoin caiu para US$ 26.000 na quinta-feira (12), uma queda de 60% em relação ao pico de novembro, antes de subir um pouco. Desde o início do ano, o movimento do preço do bitcoin refletiu de perto o do Nasdaq, uma referência fortemente distorcida para ações de tecnologia, sugerindo que os investidores o estão tratando como qualquer outro ativo de risco.

O preço do éter também caiu mais de 30% na última semana. Outras criptomoedas como solana e cardano também caíram.

Qualquer pânico pode ser exagerado, disseram alguns analistas. Um estudo da Mizuho mostrou que o proprietário médio de bitcoin na Coinbase não perderia dinheiro até que o preço da moeda digital caísse abaixo de US$ 21.000. Isso, de acordo com Dolev, é onde uma verdadeira espiral da morte pode ocorrer.

“O Bitcoin estava funcionando desde que ninguém perdesse dinheiro”, disse ele. “Uma vez que você volta a esses níveis, é meio que o momento ‘Oh meu Deus’.”

Traduzido por Luiz Roberto M. Gonçalves

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.