Análise: entre alerta, polêmica e emoção, Atlético-MG tem empate de metades discordantes | atlético-mg

A Atlético-MG chegou ao quarto jogo consecutivo sem vencer no Campeonato Brasileiro. Mas desta vez, a opinião da comissão técnica é diferente em relação aos últimos entraves: a “sabor é diferente”, destacou Turco Mohamed. E há motivos para entender esse pensamento do treinador, pois há motivos para se preocupar com erros repetidos e outros para reclamar no 1 a 1 com o Bragantino.

Como reconheceu o próprio Nacho Fernández, um dos principais destaques da equipe na partida, o início do Atlético não foi bom em Bragança Paulista e mostrou fragilidades que o time vem repetindo sob o comando do novo técnico. A principal: a saída da bola sob pressão.

Vagner Mancini já havia dado a receita na vitória do América-MG no clássico do último final de semana, e Maurício Barbieri seguiu à risca a cartilha. Com praticamente quatro homens na frente, o Bragantino avançou nas linhas e pressionou os zagueiros do Atlético. Tirou a bola do Minas, inibiu a articulação das jogadas e criou chances perigosas com essa pressão.

A saída “pé a pé”, que fluiu tão naturalmente em 2021, vem enfrentando sérias dificuldades na nova temporada. Em vários momentos, parece haver falta de sincronia e até de confiança por parte dos atletas para realizar os movimentos. Esse é o principal ponto de alerta até agora, que precisa ser corrigido nos treinos – cada vez mais raro com a maratona insana imposta pelo calendário.

Jogadores do Atlético-MG no momento da cobrança de falta contra o Bragantino — Foto: Pedro Souza/Atlético

Foi numa dessas roubadas de bola no campo ofensivo que o Bragantino abriu o placar, aos 12 minutos. Erro de Sasha ao tentar evitar a saída da bola com um carrinho entre três adversários. Deixou limpo para Léo Ortiz, que encontrou Artur livre. No cruzamento, Ytalo inteligentemente antecipou Nathan Silva para desviar sem chance para Everson.

Em desvantagem, o Atlético saiu às pressas para buscar o empate, e poderia tê-lo alcançado sete minutos depois, na jogada mais polêmica da partida. Na dupla tentativa de Guilherme Arana, Léo Ortiz evitou o gol com o braço por cima da linha. A princípio, pênalti e expulsão do zagueiro do Bragantino. Após revisão no VAR, tudo foi cancelado.

Tiro de impedimento interpretativo, que parou o jogo por mais de seis minutos. Tudo porque Arana estava de fato em uma posição avançada, mas como opinou a Central do Apito, o desvio ativo de Hurtado do chute de Guga deve anular a irregularidade. Bráulio Machado foi chamado para o monitor, e decidiu pelo impedimento, para ira do banco e funcionários do Atlético.

“Se você está me perguntando (sobre o VAR), é porque não foi justo. O que vou dizer?” (Turco)

Central do Apito: Janette Mara Arcanjo comenta jogada em que VAR anula pênalti para o Atlético-MG

Central do Apito: Janette Mara Arcanjo comenta jogada em que VAR anula pênalti para o Atlético-MG

O segundo tempo do Galo relembrou momentos de domínio do time no histórico ano de 2021. O Atlético bateu a bola (já sem a pressão inicial do Bragantino, vale destacar) e começou a trocar passes curtos e criativos no meio-campo ofensivo. Tudo passando pela melhora de Nacho no jogo.

O camisa 26 faz jus ao apelido “Cerebro”, e comanda as principais ações do time ao lado de outras duas peças vitais: Allan e Guilherme Arana. Se o trio está tendo uma boa noite, o Galo está em boas mãos. E o segundo tempo foi assim.

Foram 10 chutes do Atlético, contra nenhum do Bragantino. Em uma dessas trocas de passes inteligentes, Sasha foi derrubado perto da área. Na cobrança de falta ensaiada, Nacho empatou o placar: 1 a 1, que só não virou reviravolta porque o mesmo Sasha perdeu um gol livre de cabeça na reta final do jogo, após mais uma boa troca de passes.

“Hoje vimos a equipa campeã em campo. Temos de manter esta forma de jogar e nada mais” (Turco)

“Um sorteio muito chato para o Galo”, lamenta Carol |  A voz da multidão

“Um sorteio muito chato para o Galo”, lamenta Carol | A voz da multidão

De fato, o empate em 1 a 1 não pode ser colocado na mesma cesta dos recentes tropeços contra América, Goiás e Coritiba. Contra aquele que talvez seja o adversário mais qualificado até agora no Brasileiro, Galo mostrou sua força e teve momentos de domínio total.

Poderia ser melhor, claro, mas não são os dois pontos que faltam em Bragança que precisam ser lamentados no início da jornada da competição. O foco é o futuro. Polêmicas à parte, Turco sabe o que comemorar e onde ligar o alerta de evolução no sorteio desta quarta-feira.

“A equipa recuperou a forma. Isso deixa-me muito calmo. É o mais importante”

Assista: tudo sobre Atlético na ge, na Globo e na Sportv

A podcast ge atlético está disponível nas seguintes plataformas:

Galo na Veia – Programa de Sócios do Atlético-MG — Foto: Divulgação

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.